Campanha Salarial: resistência dos trabalhadores garante avanços e a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho

Compartilhe:

Após sete meses de negociações, 21 reuniões com os patrões, mais de 150 assembleias e muita luta da diretoria do Sindicato, com o apoio dos trabalhadores e trabalhadoras, a Campanha Salarial Unificada dos Vigilantes de Minas Gerais de 2018 finalmente chegou ao fim.

Um alinhamento entre os patrões e o governo golpista e ilegítimo de Michel Temer (MDB) fez com que as negociações se arrastassem por vários meses - a data-base da categoria é o mês de janeiro, gerando para as entidades representativas dos vigilantes no Estado muitas dificuldades para manter as conquistas e recuperar as perdas do último ano.

"Em razão das reformas impostas por Temer e pelo Congresso Nacional, totalmente contrários à vontade dos trabalhadores e trabalhadoras, enfrentamos todo tipo de dificuldades. Mas, superamos uma a uma até chegarmos a um acordo favorável à categoria. Com muita luta e firmeza na mesa de negociações, conseguimos preservar a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e ainda obtivemos ganhos importantes, como o reajuste salarial acima da inflação, aumento do valor do tíquete refeição e a gratuidade do plano odontológico", avalia o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais, Edilson Silva.

Segundo Silva, mesmo com o encerramento da Campanha Salarial deste ano, a luta para barrar a força destrutiva da reforma trabalhista continua. "Direitos conquistados em muitas lutas do passado continuam ameaçadas, enquanto tivermos no poder esse governo traidor e um Congresso Nacional subserviente ao domínio do capital, ou seja, dominado por representantes da indústria metalúrgica e farmacêutica, de instituições financeiras, da agroindústria, entre outras, que elegeram grande número de parlamentares para defender seus interesses. Mas, a diretoria do Sindicato continuará firme na luta para defender os direitos da categoria e avançar nas conquistas. Para tanto, contamos com o apoio de todos os trabalhadores e trabalhadoras, pois, juntos, somos mais fortes", reafirma Silva.

Escolta Armada

Na Campanha Salarial, mesmo diante das dificuldades, o Sindicato também conseguiu assegurar benefícios importantes para os trabalhadores que prestam serviços na Escolta Armada. Na Convenção Coletiva, foram estabelecidas melhores condições de trabalho a esses profissionais, que passam a maior parte do tempo prestando serviços fora do seu domicílio.

Entre as conquistas, estão o fornecimento de tíquete refeição; diária aos trabalhadores que ultrapassarem a jornada diária de trabalho de 8 horas; descanso de, no mínimo, 8 horas antes de retomar a viagem exaustiva, pois, conforme levantamento do Sindicato, a maioria dos acidentes no término na missão, quando os trabalhadores estão retornando à base.

Conforme a Convenção Coletiva, em seu artigo quinto, as diferenças salariais e das verbas rescisórias dos meses de janeiro, fevereiro, março, abril e maio de 2018, bem como seus reflexos, para os trabalhadores que foram demitidos a partir de 1º de Janeiro de 2018, serão quitadas pelas empresas no prazo de 10 (dez) dias, após o requerimento do mesmo junto à empresa.

Principais conquistas da Campanha Salarial:

SALÁRIO DO VIGILANTE PATRIMONIAL / SEGURANÇA PESSOAL - SEM ADICIONAL DE PERICULOSIDADE

- Reajuste salarial: 2,5%

- Salário: R$ 1.642,93

- Valor/dia: R$ 54,76

- Valor/hora: R$ 7,46

- Hora extra: R$ 11,94

- Adicional noturno: R$ 2,98

- Hora noturna: R$ 10,44

- Mensalidade sindical: R$ 32,85

- Contribuição assistencial: R$ 98,57 / 2 R$ 49,28

 

SALÁRIO DO VIGILANTE PATRIMONIAL / SEGURANÇA PESSOAL COM ADICIONAL DE PERICULOSIDADE

- Salário: R$ 1.642,93

- Adicional de periculosidade: R$ 492,87

- Salário + adicional de periculosidade: R$ 2.135,80

- Adicional de periculosidade/dia: R$ 71,19

- Adicional de periculosidade/hora: R$ 9,70

- Hora extra com adicional de periculosidade: R$ 15,52

- Adicional noturno: R$ 3,88

- Hora Noturna: R$ 13,58

 

SALÁRIO DO PESSOAL DA SEGURANÇA PESSOAL

- Salário: R$ 1.642,93 + 30% de adicional de função + 30% de periculosidade

 

SALÁRIO DO PESSOAL ADMINISTRATIVO

- Salário: R$ 1.458,21

 

SALÁRIO DO PESSOAL DA FAXINA, OFFICE-BOY E CONTÍNUO

- Salário: R$ 967,38

 

SALÁRIO DO VIGILANTE DA ESCOLTA ARMADA

- Salário: R$ 2.053,66

- Valor/dia: R$ 68,45

- Hora normal: R$ 9,33

- Hora extra: R$ 14,92

- Adicional noturno: R$ 3,73

- Hora noturna: R$ 13,06

 

SALÁRIO DO VIGILANTE DA ESCOLTA ARMADA COM ADICIONAL DE PERICULOSIDADE

- Salário: R$ 2.053,66

- Adicional de periculosidade: R$ 616,09

- Salário + adicional de periculosidade: R$ 2.669,75

- Valor/dia: R$ 88,99

- Hora normal: R$ 12,13

- Hora extra: R$ 19,40

- Adicional noturno: R$ 4,85

- Hora noturna: R$ 16,99

- Tíquete refeição até 8 horas de serviço: R$ 18,00 (após 8 horas de serviço o trabalhador terá direito a receber mais R$ 2,50 por hora até completar o ciclo de 24 horas, somando, assim, o valor de R$ 40,00 e totalizando R$ 58,00. As empresas ficam obrigadas a fornecer café da manhã aos funcionários até 8 horas de trabalho na base ou tíquete no valor de R$ 5,00 por dia. O retroativo do salário, tíquete refeição e da cesta básica do pessoal do interior será pago em 4 (quatro) parcelas, com vencimentos em 20/07, 20/08, 20/09 e 20/10.

 

PLANOS DE SAÚDE E ODONTOLÓGICO

- Plano de saúde: R$ 93,36

- Plano de saúde familiar (enfermaria): R$ 158,04

- Plano de saúde por dependente: R$ 79,02

- Consulta coparticipação (externo): R$ 16,61

- Consulta na rede: R$ 12,90

- Exame simples: R$ 9,12

- Exame especial: R$ 20,79

- Plano odontológico: gratuito (por dependente, R$ 14,00)

- Fisioterapia: R$ 4,50

 

TRABALHO EM EVENTOS

- Hora do trabalho em eventos: R$ 15,52

 

CESTA BÁSICA

- Valor da cesta básica: R$ 115,72

 

TÍQUETE REFEIÇÃO

- Valor do tíquete refeição/dia: R$ 18,00

 

Fonte: Imprensa do Sindicato.

Convenção Coletiva

Convenções Coletivas

Convenção Coletiva 2018

Ver todas »

Facebook