Casos suspeitos de Covid 19 passam de 100 mil em Minas; BH terá barreiras sanitárias

Compartilhe:

Minas Gerais ultrapassou, nesta segunda-feira (11), a triste marca de cem mil casos suspeitos do novo coronavírus (Covid 19), ou seja, aqueles em que os pacientes apresentam quadro respiratório agudo ainda sem diagnóstico. Devido ao baixo número de pessoas testadas para a infecção, entretanto, o número de casos na região pode estar subnotificado.

Pouco mais de dois meses do surgimento do primeiro caso de coronavírus, balanço da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), divulgado na manhã de hoje, aponta para a existência de 3.320 mineiros infectados pela Covid 19, sendo que 121 deles morreram após contrair o vírus. Em apenas 24 horas, 83 novos diagnósticos positivos para a doença foram notificados à pasta.

Belo Horizonte é a cidade com a maior quantidade de casos suspeitos e confirmados em Minas Gerais: 953 pessoas com coronavírus - o município concentra mais de 34 mil dos cem mil casos que estão sob investigação. Vinte e seis moradores da capital morreram em decorrência do coronavírus. Atrás, aparecem as cidades de Juiz de Fora, na Zona da Mata, e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, com maior número de suspeitas.

Barreiras

Depois de chegar ao pico na segunda semana de abril, o isolamento social na capital caiu praticamente pela metade no fim do mês passado. Dados de localização por celular disponibilizados pelo Google mostram que, em 30 de abril, uma quinta-feira, o fluxo de pessoas em estações de ônibus, trem e metrô era 34% menor que na média do mesmo dia da semana nos meses de fevereiro e janeiro, anteriores à pandemia.

Minas também terminou o mês de abril abaixo da média nacional de isolamento. No dia 30, em estações de transporte público, a redução nacional era de 46% no fluxo. Mercados e farmácias registraram, no país, também aumento na circulação em relação a janeiro e fevereiro, mas de apenas 3%.

Para tentar reduzir os casos de Covid 19 em BH, a partir da próxima semana, a prefeitura instalará 13 barreiras sanitárias nas entradas da cidade, nas quais ônibus e carros serão para aferição de temperatura dos motoristas e passageiros. A ação contará com agentes da BHTrans, Secretaria Municipal de Saúde e Polícia Militar de Minas Gerais.

Segundo o prefeito Alexandre Kalil, em entrevista coletiva nesta segunda, a flexibilização do comércio pode ocorrrer a partir do dia 25, conforme estudos técnicos. No entanto, ele reforça o pedido para que as pessoas fiquem em casa. "Volto a falar, fiquem em casa. Dependem de nós. Eu não quero trancar essa cidade. Não espantem se Belo Horizonte for a primeira cidade a ser trancada".

Fonte: Imprensa do Sindicato, com informações da SES e O Tempo.

Convenção Coletiva

Convenções Coletivas

Convenção Coletiva 2019/2020

Ver todas »

Facebook