Dirigentes convocam vigilantes para mobilizar e se juntar aos sindicatos na Campanha Salarial Unificada de 2022

Compartilhe:

Um dos principais assuntos do Programa Voz do Vigilante MG da terça-feira 2 foi a Campanha Salarial Unificada dos Vigilantes de Minas Gerais de 2022. Na live, dirigentes do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais em Ipatinga, Itabira e Ouro Preto e das entidades representativas da categoria em Juiz de Fora e Montes Claros falaram da expectativa em relação à campanha. Confira:

- Josias Luciano, presidente do Sindicato dos Vigilantes de Juiz de Fora:

"Companheiros, estamos iniciando o processo de negociação coletiva em 2022 e, nesta hora, é fundamental a participação de todos os trabalhadores, associados e não sócios.

É importante que você, vigilante, dê apoio ao seu sindicato. O sindicato nos dias atuais é o único organismo que ainda defende a classe trabalhadora, que ainda briga ferrenhamente na defesa de uma convenção coletiva justa, em favor dos trabalhadores.

Nós enfrentamos o poder econômico das empresas e uma força desigual. Enquanto os patrões estão recolhendo vultosos valores com a contribuição sindical empresarial e outras contribuições, nós, trabalhadores, dependemos do "contribui quem quer". Defenda seu sindicato.

É muito difícil manter as portas do sindicato abertas, mas estamos aí, vencendo esse governo maldito para os trabalhadores. Um governo que não faz nada para a classe trabalhadora, para os pais de família.

Enfrentamos um país com alta tributação e altos juros. Se o governo baixasse os juros, naturalmente o mercado iria crescer, produzir mais, contratar mais. Mas, como o olho do governo é ganancioso, ele só quer ganhar mais. Quanto mais caro os produtos, mais o governo arrecada. E engana-se aqueles que ainda acreditam no atual governo.

Mas, o momento agora é de negociações coletivas, estamos focados na defesa da Convenção Coletiva de Trabalho. Estamos juntos, com o Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais, Sindicato dos Vigilantes de Montes Claros, Sindicato dos Vigilantes de Uberaba e com o Sindicato dos Vigilantes de Uberlândia. Estamos juntos na defesa dos trabalhadores.

Temos que combater a vigilância intermitente, a contratação de vigias, porteiros e,  principalmente, de vigias motorizados em condomínios, que têm ocupado vagas de trabalho dos vigilantes.

Precisamos de um apoio maior de todo o segmento, da Polícia Federal e da patronal, para esclarecer à sociedade que o vigilante não é só o profissional que porta arma de fogo, mas, sim, profissional habilitado e único que pode  exercer a atividade.

Vamos enfrentar um processo de negociação difícil. O governo, juntamente com o Congresso, sempre tenta prejudicar os trabalhadores, como ocorreu com a reforma trabalhista aprovada em 2017 e agora, com a mini reforma enviada ao Congresso. Então, vamos dizer "não" para a classe econômica, para a redução dos nossos direitos, não para a vigilância clandestina.

Os sindicatos têm lutado há mais de quinze anos, mantendo a melhor Convenção Coletiva do país e terceiro melhor salário. Em termos de salários, só perdemos para Brasília e Paraná. Vamos continuar juntos e unidos para vencermos essas dificuldades.

Contribua com seu sindicato, ajude o sindicato, contribua, sindicalize. Apoie com contribuição negocial, assistencial, precisamos desses recursos para sobrevivermos e defendermos seus direitos.

Enquanto os patrões estão arrecadando vultuosos valores através da contribuição sindical, para os sindicatos de trabalhadores essa contribuição praticamente acabou. Fizeram de tudo para acabar as fontes de renda dos sindicatos de trabalhadores, mas as empresas continuam recolhendo sua parte e os patrões estão cada dia mais ricos. Quem é rico fica mais rico e quem é pobre cada dia está mais sofrido.

Quando uma empresa  fecha as portas, o único organismo que ainda sobrevive para defender os trabalhadores é o sindicato. Então, se para você que fala esdruxulamente que o sindicato não vale nada, quando as empresas fecham as portas, o sindicato vale muito. Por isso, meu amigo, ajude a defender nossos direitos conquistados, muito obrigado!".

- Marcelino Costa, presidente do Sindicato dos Vigilantes de Montes Claros:

"Companheiros e companheiras, chegou a hora de começarmos a luta pela nossa negociação coletiva. Um ano se passou e ,mais uma vez, precisamos nos unir porque o cenário apresentado é mais preocupante que nos anos anteriores.

Na atual conjuntura, o que nos é apresentado é somente retirada de nossos direitos. Diante disso, nos resta a união da categoria com mobilização constante, para evitarmos um grande massacre e retirada de direitos, que conseguimos a duras penas durante anos de luta.

A manutenção dos nossos direitos é necessária, precisamos estar unidos e vigilantes, isso é imprescindível, nenhum direito a menos, essa é a nossa luta!".

- Samuel Carlos, diretor do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais em Ipatinga e Região:

"Nas andanças pelo Leste de Minas, para entrega do Jornal O Vigilante, convidamos os vigilantes para a assembleia que foi realizada no dia 19 de outubro, de apresentação da pauta de reivindicações da Campanha Salarial de 2022.

Na ocasião, pude notar que os nossos amigos e amigas vigilantes estavam com uma expectativa muito boa para a Campanha. Os vigilantes estão mais bem informados, mais antenados, parabenizando pelo trabalho que os sindicatos vêm realizando há mais de um ano.

Isso é muito importante: vigilantes mais bem informados e participando da vida do sindicato. Mas, ao mesmo tempo que vemos que a categoria está bem informada, também constatamos que a categoria está um pouco preocupada com o que acontece no país, com essa inflação muito alta, arrocho salarial, as coisas muito caras, como o gás de cozinha, gasolina, produtos da cesta básica.

A categoria está ansiosa, querendo participar, perguntando ao Sindicato se haverá assembleias presenciais. Também está preocupada com que está acontecendo na política econômica imposta ao país.

Infelizmente, muitas categorias estão com dificuldades para fechar uma campanha salarial com ganho real. Algumas categorias estão fechando campanha até sem a inflação completa, o INPC cheio.

Mas, vamos para a luta e estamos percebendo que o trabalhador quer juntar-se a nós como nunca, que está mais antenado com as coisas do sindicato, está entendendo e compreendendo melhor nosso trabalho.

Isso é muito importante. Vamos à luta! Vamos fazer uma Campanha Salarial boa, com participação e mobilização, para que possamos conseguir um bom reajuste salarial em 2022".

- Agnélio Vieira, diretor do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais em Itabira e Região:

"Espero que a patronal conceda um excelente reajuste salarial para todos os vigilantes, que mesmo durante a pandemia se dedicaram ao trabalho, e muitos perderam a sua vida.

Que tenhamos um bom reajuste, melhores condições de trabalho e benefícios. Claro que nada virá de mãos beijadas para o vigilante. É através da luta e da mobilização que teremos sucesso na nossa Campanha Salarial.

Conto com o apoio de todos os vigilantes de Itabira e região, que todos se mobilizem e se unam ao sindicato, para que tenhamos uma Campanha Salarial vitoriosa".

- Alexandre Reis, diretor do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais em Ouro Preto e Região:

"Esse tem sido um ano bem difícil e sabemos que os patrões já não querem dar nada, só retirar nossos direitos. Em conversas com vigilantes da região, o que se percebe é que muitos estão apreensivos.

O pessoal está vendo que não será fácil a gente conseguir um reajuste com ganho real; reajuste nos tíquetes, principalmente no tíquete refeição, que está bem defasado.

Os patrões, que sempre têm ganhos muito altos em cima de nós, só olham o lado deles. Nós, trabalhadores, que estamos na linha de frente, defendendo o ganho deles, teremos uma briga boa com os patrões para conseguir alguma coisa".

Se você perdeu a edição desta semana, basta acessar a TV O Vigilante, no site do Sindicato (www.ovigilante.org.br), o perfil da entidade no Facebook ou o canal no YouTube. A live do Sindicato vai ao ar toda terça, ao vivo, às 19 horas.

Fonte: Imprensa do Sindicato.

Sindicato dos Empregados das Empresas de Segurança e Vigilância do Estado de Minas Gerais
Sede: Rua Curitiba, 689, 9º andar, Centro, Belo Horizonte/MG. Telefone: (31) 3270-1300
Clube dos Vigilantes: Rua Sindicalista Lúcio Guterres, 537, bairro Chácaras Cotia (Nacional), Contagem/MG.
Telefone: (31) 3665-9142 | E-mail: ovigilante@ovigilante.org.br
Total de visitas: 3538652