< Voltar

Editorial: união, mobilização e resistência são as saídas contra os ataques aos direitos trabalhistas e previdenciários

O Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais tem acompanhado de perto as reformas trabalhista e previdenciária levadas a cabo pelo presidente golpista e ilegítimo Michel Temer (PMDB).

Nas últimas semanas, o Sindicato viu com tristeza e indignação a aprovação e sanção das mudanças na legislação trabalhista, que resultarão em muitas  perdas para os trabalhadores e trabalhadoras. Com essa reforma, Temer suspendeu ou restringiu mais de 200 direitos e conquistas.

Os sindicatos e a Justiça do Trabalho – principais armas de defesa dos trabalhadores – também foram duramente atingidos. Ao fragilizar as entidades sindicais e a Justiça Trabalhista, Temer possibilita aos patrões fazerem o que quiserem com seus empregados.

Sem a intermediação dos sindicatos simplesmente os trabalhadores e trabalhadoras não terão força alguma perante os patrões para negociar o que quer que seja. E sem uma Justiça do Trabalho atuante, os trabalhadores e trabalhadoras não terão qualquer amparo para garantir seus direitos.

A próxima aposta dos golpistas é a reforma da Previdência, que praticamente impede a aposentadoria. Há muito tempo, o Sindicato vem alertando os vigilantes sobre essa intenção de Temer, que agora mobiliza todo o governo e o Congresso Nacional para empurrar goela abaixo de todos nós, até outubro, a reforma da Previdência, que, assim como a reforma nas leis trabalhistas, resultarão em sérios prejuízos e retrocessos para os trabalhadores e trabalhadoras.   

Diante de todos esses ataques sem precedentes, não resta outra alternativa aos trabalhadores e trabalhadoras: temos que nos unir cada vez mais ao Sindicato para fortalecer a entidade e enfrentarmos toda sorte de investidas contra nossos direitos trabalhistas e previdenciários, principalmente nesse momento em que estamos prestes a iniciar a luta da nossa Campanha Salarial.

Portanto, o momento é de união, mobilização e resistência. Todos juntos, Sindicato e trabalhadores, por nenhum direito a menos!

Confira na próxima edição do jornal O Vigilante mais informações sobre os prejuízos aos trabalhadores decorrentes das reformas de Temer.

Fonte: Imprensa do Sindicato.