Se os patrões não fizerem uma contraproposta decente, vamos ter que fazer uma grande mobilização, diz presidente do Sindicato

Compartilhe:

A patronal não apresentou nenhuma resposta efetiva à pauta de reivindicações da Campanha Salarial dos Vigilantes de 2021 durante a 4ª rodada de negociações, realizada na última quinta-feira (7), em Belo Horizonte.

"É estarrecedor que até o presente momento as empresas sequer apresentaram alguma contraproposta. Não paramos de trabalhar em nenhum momento nesta pandemia, pois somos um serviço essencial. Mas, parece que as empresas não estão querendo reconhecer isso. Sempre estivemos na linha de frente ao combate à Covid-19. Agora, eles têm que reconhecer também a importância dos trabalhadores da segurança privada. O que eles propõem é a retirada de direitos, e isso não temos como aceitar", criticou o presidente do Sindicato, Edilson Silva.

Segundo ele, na reunião o Sindicato reforçou a necessidade de reajuste dos salários com aumento real, melhoria da cesta básica e do tíquete refeição, entre outras reivindicações - a pauta dos trabalhadores e trabalhadoras é composta de 109 itens.

"Se os patrões não fizerem uma contraproposta decente, vamos ter que fazer uma grande mobilização, que passa pela participação dos trabalhadores e trabalhadoras, e até uma grande manifestação. Nós, que estamos na linha de frente do enfrentamento ao coronavírus, talvez tenhamos que sair para o enfrentamento com os patrões, para que, de fato, eles nos respeitem. O que a gente tem visto é os patrões ganhando rios de dinheiro e na hora em que os trabalhadores querem conquistar alguma coisa eles sequer apresentam alguma proposta. Eles colocam que a situação está difícil. Mas se está difícil para eles, imagine para nós, trabalhadores e trabalhadoras", disse.

Avançar nas conquistas

Silva convoca a categoria para se manter firme na luta. "Não podemos retroceder. Nossa Convenção foi conquistada com muita luta. Temos que lutar para mantê-la e avançar. Compreendemos que temos condições de avançar e  estamos empenhados na Campanha Salarial. Por isso, os vigilantes sempre têm que estar vigilantes com seu salário, benefícios e conquistas. Se temos condições de proteger o patrimônio alheio, também temos que ter a disposição de proteger nossas conquistas, direitos e salário. Não podemos deixar que os patrões usem a pandemia como desculpa para não conceder reajuste salarial".

O secretário-geral do Sindicato, Romualdo Alves, Ribeiro, reconhece que a expectativa era de que a Campanha Salarial deste ano seria difícil, devido à pandemia. Porém, por ter mantido o serviço e ser considerada uma categoria essencial, ele esperava que houvesse um reconhecimento por parte da patronal. "Até o momento, esse reconhecimento não veio. Mas, o vigilante continua lá no seu posto, correndo risco, adoecendo", observa.

Ele ressalta que o setor de serviços foi o que mais cresceu no ano passado, em plena pandemia. "A vigilância passou por essa crise perdendo quase nada de postos de trabalho. Em alguns setores, mais vigilantes foram contratados. Ou seja, aumentou a oferta de trabalho e de lucro aos patrões. Então, queremos reconhecimento. Que os patrões reponham aquilo que perdemos ao longo de 2020, reconheçam a necessidade de melhoria no tíquete, da participação nos lucros e nos resultados, nosso trabalho e nosso valor, pois estamos prestando um bom serviço".

Data-base prorrogada

Na reunião, a data-base dos vigilantes de Minas Gerais, que é 1º de janeiro, foi prorrogada para o dia 31 deste mês. A decisão foi tomada pelo Sindicato, as demais entidades representativas da categoria no estado e a representação patronal.

"Isso significa que até 31 de janeiro fica assegurada a nossa Convenção Coletiva de Trabalho e todos os nossos direitos. A partir do momento em que for fechada a nossa Campanha Salarial, todos os nossos direitos serão retroativos a 1º de janeiro", informa Silva.

A pauta de reivindicações da Campanha Salarial de 2021 foi entregue aos patrões no dia 6 de novembro do ano passado. Em dezembro, foram realizadas três rodadas de negociações. Duas novas reuniões estão agendadas para os próximos dias 14 e 21 deste mês.

Confira o pronunciamento da diretoria do Sindicato sobre a Campanha Salarial na TV O Vigilante, aqui no site do Sindicato; no nosso perfil no Facebook ou canal no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=VYP_lLeW-g4

Fonte: Imprensa do Sindicato.

Convenção Coletiva

Convenções Coletivas

Convenção Coletiva 2019/2020

Ver todas »

Facebook