Sindicato faz levantamento de horas extras devidas pela Essencial a trabalhadores

Compartilhe:

O Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais vem cobrando da Essencial Vigilância, desde o início da pandemia, a regularização do pagamento de horas extras em atraso a seus empregados.

Recentemente, o Sindicato denunciou a Essencial ao Ministério do Trabalho. Em audiência de mediação, que contou com a participação do Sindicato, Essencial e da Caixa, ficou decidido que, se a empresa não solucionar o problema e o Sindicato conseguir levantar os valores devidos aos trabalhadores, o banco irá assumir o pagamento das horas extras.

"Convocamos os trabalhadores por meio do nosso jornal, redes sociais e da nossa live para que enviassem pra gente os apontamentos pelo WhatsApp ou ligassem.  Também pedimos à empresa para entregar ao Sindicato as folhas de ponto de todos os empregados. A Essencial enrolou bastante, mas enviou para nós", disse o diretor do Sindicato Ronaldo Gomes (foto), no Programa Voz do Vigilante MG da última terça-feira (2), exibido pelo Site, Facebook e YouTube da entidade.

Segundo ele, são em torno de 400 folhas de ponto. Diante dessa grande quantidade de documentos, para fazer o levantamento das horas extras, Ronaldo informou na live que o Sindicato contratou um contador especialmente para realizar o trabalho.

Levantamento deverá durar um mês

"É muita coisa, pois o levantamento é de horas extras feitas entre janeiro e agosto deste ano. O contador deverá levar 30 dias para fazer o serviço e entregar tudo para o Sindicato antes da reunião que teremos com a Essencial e a Caixa, no dia 18 de novembro", informou.

De acordo com o dirigente, na reunião o Sindicato apresentará o resultado do levantamento à Essencial e à Caixa. Comprovada a existência da dívida da empresa com os trabalhadores, então será decidido como o pagamento deverá ser feito. Caso a empresa se recuse a quitar o débito, a Caixa deverá assumir o pagamento e descontar o montante da fatura da Essencial.

"Estamos caminhando e cercando a empresa. Se tiver algum setor que não está pagando a hora extra devida, denuncie ao Sindicato. O telefone é (31) 3270-1300", orienta Ronaldo Gomes.

Para ficar informado sobre a Campanha Salarial e a respeito de tudo o que interessa à categoria, assista o Programa Voz do Vigilante MG toda terça-feira, às 19 horas, pelo site (www.ovigilante.org.br), Facebook ou YouTube do Sindicato.

Fonte: Imprensa do Sindicato.

Sindicato dos Empregados das Empresas de Segurança e Vigilância do Estado de Minas Gerais
Sede: Rua Curitiba, 689, 9º andar, Centro, Belo Horizonte/MG. Telefone: (31) 3270-1300
Clube dos Vigilantes: Rua Sindicalista Lúcio Guterres, 537, bairro Chácaras Cotia (Nacional), Contagem/MG.
Telefone: (31) 3665-9142 | E-mail: ovigilante@ovigilante.org.br
Total de visitas: 3538632