Sindicato se reúne com o Ministério Público do Trabalho em defesa dos trabalhadores terceirizados atingidos pela tragédia em Brumadinho

Compartilhe:

O Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais participou de uma reunião realizada pelo Ministério Público do Trabalho em Minas Gerais (MPT-MG), em sua sede, em Belo Horizonte, na última quinta-feira (31), sobre a tragédia ocorrida em Brumadinho, no dia 25 de janeiro, na barragem da Mina do Feijão, de propriedade da companhia Vale.

A reunião, que teve o objetivo de recolher informações para instrução do inquérito sobre o rompimento da barragem, contou com a presença de procuradores do MPT, membros do Grupo Especial de Atuação Finalística (Geaf), auditores fiscais do trabalho, representantes de 18 entidades profissionais e órgãos públicos.

“A intenção é que todas as entidades presentes caminhem juntas com o Ministério Público do Trabalho para defendermos os interesses dos trabalhadores terceirizados que prestavam serviços na mina da Vale em Brumadinho, a fim de lhes garantir toda a proteção e assistência necessárias, bem como seus direitos”, explica o secretário-geral do Sindicato, Romualdo Alves Ribeiro, que representou a entidade na reunião.

Segundo Romualdo, ainda que não tenham sido vítimas diretas do acidente, os vigilantes que atuam na mina foram duramente afetados psicologicamente e precisam ser assistidos. “O Sindicato vai acompanhar todo o andamento das auditorias e levantamentos que estão sendo feitos pelo Ministério Público do Trabalho, já que a questão envolve inúmeros vigilantes, e contribuir no que for preciso na realização desse trabalho”, informa.

Nas próximas semanas, novas reuniões deverão ser realizadas entre o  MPT-MG, as entidades representativas dos trabalhadores, empresas terceirizadas que prestam serviços na mina e a companhia Vale.

O objetivo é que seja firmado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a mineradora de forma a garantir que os vigilantes e trabalhadores terceirizados das demais categorias tenham seus direitos assegurados.

Fonte: Imprensa do Sindicato.

Convenção Coletiva

Convenções Coletivas

Convenção Coletiva 2018

Ver todas »

Facebook