Vigilância 24 horas nos bancos pode se tornar obrigatória em Diamantina

Compartilhe:

A luta do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais para que os bancos das cidades do Estado mantenham vigilância 24 horas em suas agências tem avançado cada vez mais.

Na última sexta-feira (13), dirigentes da entidade estiveram em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, e se reuniram com o vereador de Tarcísio Magno Martins (PDT), que confirmou a intenção de apresentar um projeto de lei na Câmara Municipal obrigando os bancos instalados na cidade a manterem vigilantes durante todo o expediente bancário e profissionais armados 24 horas por dia em suas agências, inclusive nos finais de semana e feriados.

“Em visita ao vereador, apresentamos a ideia da vigilância 24 horas nos bancos e a receptividade foi a melhor possível. Nosso objetivo é que Diamantina seja a pioneira dentre as cidades reconhecidas como Patrimônio Cultural da Humanidade a aprovar esse projeto”, disse o diretor do Sindicato Vitor dos Santos, que se reuniu com o parlamentar juntamente com o dirigente Afonso Nonato e os vigilantes Rodrigo Costa e Edemar Marques Bento (foto).

O Sindicato tem mantido contatos com parlamentares e prefeitos de todo o Estado, incentivando-os a apresentarem projetos de lei a fim de garantir a vigilância 24 horas nos bancos de suas cidades. As negociações já estão avançadas em localidades como Belo Horizonte, Betim, Leopoldina, Rodeiro e Viçosa.

Em reunião com o vice-presidente da Câmara Municipal de Teófilo Otoni, Gabriel Gusmão (Avante), ele confirmou à diretoria do Sindicato que vai apresentar um projeto de lei para garantir a vigilância 24 horas nos bancos da cidade.

Já o vereador vereador de Itajubá José Maria Silva, o “Zé Maria Bão” (PTB), apresentou um projeto sobre o tema na Câmara da cidade em setembro. A medida já é lei nos municípios de Cataguases, Ubá e Juiz de Fora.

Fonte: Imprensa do Sindicato.

Convenção Coletiva

Convenções Coletivas

Convenção Coletiva 2019/2020

Ver todas »

Facebook